FÓRUM –

2017.3 EAD - LITERATURA BRASILEIRA I (CEL0637/2635977) 9001

 

PRIMEIRO TEXTO:

 

Estimada professora, uma pequena contribuição, quanto aos autores nacionais:

 

A Literatura no Brasil nasceu e desenvolveu-se como renovo da portuguesa e os seus reflexos. No entanto, peca pela falta de trabalhos históricos relevantes.

 

Na realidade, coube aos estrangeiros falarem da Literatura pátria. Nesse sentido, a obra de Ferdinand Wolf (1863), “Le Brésil Littéraire”, foi e continua a ser o referencial dos estudiosos na matéria, porque é única em seu gênero. Até bem pouco tempo era considerada epítome marcante dos nossos cursos de literatura. Depois, destacam-se as primeiras obras a se referirem aos nossos poetas e escritores: M. M. Bouterwek (1804), na obra “História da literatura portuguesa”, Sismonde de Sismondi (1819), em “Literaturas do meio-dia da Europa”, e Ferdinand Dinis (1825), no “Resumo da história da literatura de Portugal” (MAGALHAENS, 1865, p. 245). Salienta-se, entretanto, que os referidos autores tomaram a literatura brasileira como um ramo da literatura portuguesa (BARIANI).

 

Entre os autores nacionais, as obras de Sílvio Romero e de José Veríssimo podem ser consideradas as mais importantes criações a respeito da história da literatura brasileira, até o início do século XX. Aos demais autores brasileiros, cabem alguns pequenos ensaios, escassas monografias, noções destacadas de uma ou outra época da literatura brasileira, ou análise de algum escritor preferido por este ou aquele autor. Em sua obra “História da literatura brasileira”, Silvio Romero (1953, p. 1) destaca os principais dentre esses autores: “[...] Januário da Cunha Barbosa – Parnaso Brasileiro (1831); Abreu e Lima – Bosquejo histórico, político e literário do Brasil (1835); Domingos de Magalhães – Discurso sobre a História da Literatura do Brasil (1836); Norberto e Silva – Bosquejo da História da Literatura Brasileira, nas modulações poéticas (1841), e mais tarde alguns estudos na Minerva Brasiliense (1843), na Revista Popular (1861) e na Brasília Biblioteca de Autores Nacionais (1863); Pereira da Silva – Parnaso brasileiro (1843) e Plutarco brasileiro (1847), transformados depois em Varões ilustres do Brasil nos tempos coloniais (1858); Varnhagen – Florilégio da poesia brasileira (1851 e 53); Fernandes Pinheiro – Discurso sobre a poesia em geral e em particular no Brasil, na tradução de Jó por Elói Ottoni (1852), e também no Curso Elementar de Literatura Nacional (1862), e no Resumo de história literária (1872); Antônio Joaquim de Meio – Biografias de alguns poetas e homens ilustres da Província de Pernambuco (1858); Sotero dos Reis – Curso de Literatura Portuguesa e Brasileira (1866); Antônio Henriques Leal – Panteon maranhense (1873); Joaquim Manuel de Macedo – Ano biográfico brasileiro (1876); José Antônio de Freitas – Lirismo Brasileiro (1877); J. S. – Manual de literatura ou estudos sobre a literatura dos principais povos da América e Europa (1878); Leri dos Santos – Panteon Fluminense (1880); Sacramento Blake – Dicionário bibliográfico brasileiro (1883); Ignotus – Sessenta anos de jornalismo (1883); Melo Morais Filho – Curso de Literatura Nacional (1881) e Parnaso brasileiro (1885); F. A. Pereira da Costa – Dicionário biográfico de pernambucanos célebres (1882). – Contêm também notícias literárias – a Revista do Instituto Histórico, os Anais da Biblioteca Nacional, os Arquivos do Museu Nacional e as Efemérides Nacionais, do Dr. Teixeira de Melo (1881).”

 

Enfim, o escritor brasileiro, parece-me não se envolver muito com a base fundamental da nossa cultura.

 

REFERÊNCIAS

 

BARIANI, Edison. Um escritor, duas histórias: Machado de Assis e a crítica de José Veríssimo e Sílvio Romero. Monografias.com, Ushuaia, Terra do Fogo, República Argentina. Disponível em: a href="http://br.monografias.com/trabalhos915/machado-verissimo-romero/machado-verissimo-romero2.shtml&gt">http://br.monografias.com/trabalhos915/machado-verissimo-romero/mac...;. Acesso em: 18 set. 2017.

 

MAGALHAENS, Domingos José Gonçalves de. Obras de D. J. G. de Magalhaens. T. VIII: Opusculos historicos e literários. 2. ed. Rio de Janeiro: Livraria de B. L. Garnier, 1865, p. 245. Disponível em: a href="http://www.literaturabrasileira.ufsc.br/documentos/?action=download&id=43454&gt">http://www.literaturabrasileira.ufsc.br/documentos/?action=download...;. Acesso em: 18 set. 2017.

 

ROMERO, Silvio. História da literatura brasileira: contribuições e estudos gerais para o exato conhecimento da literatura brasileira. 5. ed. Organizada e prefaciada por Nelson Romero. Rio de Janeiro: José Olympio, 1953. A primeira edição é de 1888.

Cordialmente,

Sílvia M. L. Mota

Exibições: 2

Responder esta

Aniversários

Não há aniversários hoje

Fotos

Eventos

Poema ao acaso

CENPESJUR

© 2018   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Relatar um incidente  |  Termos de serviço