CULTURA CLÁSSICA: CONTRIBUIÇÕES LINGUÍSTICAS

Anotações sobre as aulas 1 a 5

 

Este resumo apresenta vários aspectos relacionados à Antiguidade Clássica, que tem início no século VIII a.C. desde a poesia grega homérica e estende-se à queda do Império Romano, no século V d.C. Nessa abrangência, existem dois marcos importantes da Antiguidade Clássica: Grécia antiga e Roma antiga.

 

LEGADO DA GRÉCIA ANTIGA E DA ROMA ANTIGA

 

Quando estudamos a história da Grécia antiga, percebemos que essa história divide-se em vários períodos:

 

Período arcaico – grande desenvolvimento das cidades-estados, das polis gregas, em particular, Esparta e Atenas, importantes, com governo próprio, com reis próprios.

 

Esparta, com uma cultura voltada para a guerra, o culto ao vigor físico, pouco discurso, poucas palavras, a formação do guerreiro. Cidade muito isolada. A sociedade espartana dividia-se em três classes sociais: os esparciatas ou espartanos (classe dominante, únicos com direitos políticos), os periecos (camada intermediária) e os hilotas (escravos). Os espartanos desenvolveram forte organização militar e eram soldados treinados desde a infância. O cidadão espartano era mantido pelo Estado para o propósito da guerra. Os Periecos eram homens livres (comerciantes, agricultores e artesãos), mas não cidadãos, pagavam tributos aos espartanos e, em caso de guerra, eram convocados para o exército. Os hilotas realizavam todos os trabalhos manuais e constituíam a maioria da população de Esparta.

 

Atenas, com abertura para os mares e o principal centro cultural de toda a Grécia, constituía-se na polis grega marcada pela evolução do pensamento, valorizava as artes, o pensamento filosófico. Cultuava, também, a disciplina física, mas com equilíbrio.

 

Período helenístico (helenismo) – marcado pela ascensão de Alexandre Magno - Alexandre o Grande. No período temos a cultura grega e a própria língua grega influenciando diversas culturas, porque Alexandre Magno reúne sob o seu domínio, não somente as cidades estados da Grécia, como também diversas cidades, vários povos do mundo antigo. A cultura grega influencia e é influenciada por essas diversas culturas. Nesse momento, dá-se a decadência das cidades estados. Com a morte de Alexandre Magno chega ao fim o período da Grécia Clássica, que não determina o fim da influência da cultura grega. A cultura romana recebe influência da cultura grega. A própria língua latina sofre influência do grego.

 

Quando tratamos da Roma antiga destacamos diversos períodos:

 

Período Monárquico (753-509 a.C.) – Pouca informação confiável. O estudo da monarquia romana conta com um conjunto de fontes históricas bastante limitadas. A grande maioria das informações obtidas desse período é extraída da interpretação de lendas que fazem referência aos sete reinados instituídos nesta época.

 

Período Republicano (507-27 a.C.) – Durante a passagem da monarquia para a república, eram os patrícios que detinham o poder e controlavam as instituições políticas. Concentrando o poder religioso, político e a justiça, eles exerciam o governo procurando se beneficiar. Para os plebeus, sem direito à participação política, restavam apenas deveres, como pagar impostos e servir o exército.

 

Período dos Imperadores (27 a.C. – 476 d.C.) – O Império Romano, que foi construído após o fim da República, correspondeu ao período de maior esplendor da Civilização Romana, com grandes obras de urbanização e embelezamento das cidades, além de um grande incentivo à produção cultural e artística.

 

Império Romano:

 

Cabe destacar a importância do domínio do poder militar político de Roma antiga, poder que se faz presente em várias regiões do mundo antigo. Isso traz riquezas, poder e prestígio para Roma. Mas, há também crises internas, tensões, conflitos entre classes. Roma acaba por ser derrotada pelas crises internas.

 

O declínio do Império Romano não se dá da noite para o dia.

Difusão da língua romana – latim vulgar, falado.

As línguas neolatinas surgiram do latim vulgar. O termo vulgar, nesse contexto, significa: uma variação linguística relativa ao linguajar coloquial.

Línguas românicas: italiano, romeno, catalão, castelhano, português, francês...

 

Religiosidade:

 

Mitologia greco-romana é o conjunto de mitos e lendas das tradições gregas e romanas da Antiguidade, que se fundiram com a conquista da Grécia pela República Romana.

 

Os gregos e os romanos construíram diversos templos para seus deuses, locais em que faziam orações e rituais, entre que se incluíam sacrifícios de animais. Os deuses gregos eram semelhantes aos deuses romanos. Mas, alguns deuses romanos, possuem diferenças significativas com relação aos deuses gregos. Na religião grega, os nomes são em grego. Na religião romana, os nomes são em latim.

 

As divindades gregas tinham virtudes e fraquezas dos seres humanos. Tinham filhos com os seres humanos.

 

Mito é uma narrativa que tenta explicar o Cosmos. Não histórica, não lógica, não científica.

Modo primitivo de conceber o mundo, narrativa imaginativa não histórica e não lógica que “mostra como a realidade veio à existência, seja a realidade total, o Cosmos, seja um fragmento dela”. Na literatura, mito corresponde à narrativa, à fábula, ao enredo, expressando o sentido profundo das coisas por meio de uma história.

 

Pensamento filosófico na Antiguidade Clássica:

 

A contribuição de Platão e Aristóteles

 

Outras influências:

 

Estoicismo (Estóicos): (do grego Στωικισμός) é uma escola de filosofia helenística fundada em Atenas por Zenão de Cítio no início do século III a.C. Os estoicos ensinavam que as emoções destrutivas resultam de erros de julgamento, e que um sábio, ou pessoa com "perfeição moral e intelectual", não sofreria dessas emoções.

 

Epicurismo (Epicuristas): é o sistema filosófico que prega a procura dos prazeres moderados para atingir um estado de tranquilidade e de libertação do medo, com a ausência de sofrimento corporal pelo conhecimento do funcionamento do mundo e da limitação dos desejos. Por outro lado, quando os desejos são exacerbados podem ser fonte de perturbações constantes, dificultando o encontro da felicidade que é manter a saúde do corpo e a serenidade do espírito, ensinado por Epicuro de Samos, filósofo ateniense do século IV a.C., e seguido depois por outros filósofos, chamados epicuristas.

 

Aristóteles – conceito de mímesis. O poeta tem como ofício representar, não a realidade como ela é, mas o que poderia acontecer.

 

Platão (República) – também trabalhou o conceito de mímesis. O mundo das ideias é um mundo sublime, superior. A Poesia é uma cópia de terceiro nível – a cópia da cópia. O poeta não tem vez na República.

 

Conceito de gênero literário:

 

Tragédia: (do grego antigo τραγῳδία, composto de τράγος, "cabra" e ᾠδή, "música"). Linguagem ornamentada, apresentando ritmo, harmonia e canto. A temática é caracterizada por uma ação dramática que apresenta uma situação inicialmente feliz, mas que no desfecho se revela fatal. A literatura grega reúne três grandes tragediógrafos, cujos trabalhos ainda existem: Sófocles, Eurípedes e Ésquilo. Exemplos de tragédias: “Édipo rei”, de Sófocles; “Medeia”, de Eurípedes; “Prometeu acorrentado”, de Ésquilo.

 

Comédia: A importância da comédia era a possibilidade democrática de sátira a todo tipo de ideia, inicialmente política. Assim como hoje, em seu surgimento, ninguém estava a salvo de ser alvo das críticas da comédia: governantes, nobres e nem ao menos os deuses. Exemplos de comédias: “As rãs” e “As nuvens”, de Aristófanes – foram representadas em Atenas.

 

Epopeia: é uma longa narrativa literária de caráter heroico, grandioso e de interesse nacional e social. Apresenta uma atmosfera maravilhosa que se caracteriza pela presença de acontecimentos históricos passados, mitos, heróis e deuses. Exemplos de epopeias: “Ilíada” (herói – Aquiles) e “Odisseia” (herói Ulisses), atribuídas a Homero, tendo como pano de fundo a Guerra de Tróia; “Eneida”, de Virgílio (herói – Enéias).

 

Herança linguística:

 

Novo Testamento e Tradução da Bíblia Hebraica - escritos em grego koiné (comum)

Latim vulgar: língua oral ou falada – passou a ser falado pelos povos vencidos.

Exibições: 7

© 2017   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Relatar um incidente  |  Termos de serviço