AULA 10

TÓPICO ESPECIAL EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL, EDUCAÇÃO FORMAL E EDUCAÇÃO INFORMAL

 

 

OBJETIVOS

 

  • Apresentar a EA não formal e seus espaços de atuação.
  • Ressaltar o papel das ONGs para a temática e discutir a certificação ambiental.
  • Apresentar o tema da Responsabilidade Social Empresarial e sua importância.
  • Apresentar o Ecoturismo como forma de EA não formal.
  • Estudar as bacias hidrográficas como unidades de estudo de EA.

 

ESPAÇOS NÃO FORMAIS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

 

  • Definindo educação não formal e informal:

–        A educação não formal resulta da iniciativa de grupos que se empenham na alfabetização de adultos, de empresas que oferecem cursos para seus empregados, de igrejas, iniciativas de sindicatos, partidos políticos, da mídia – quando ao lado da programação habitual, oferece cursos específicos – e até das escolas, quando abrem seu espaço em fins de semana para atividades com a comunidade.

 

  • A educação transmitida pelos pais, no convívio com amigos, clubes, teatros e etc. são considerados como educação informal.
  • Na educação não formal existe intencionalidade de se criar ou buscar determinadas qualidades e/ou objetivos.
  • [A lei n. 9.795, de 1999 sobre EA aborda a educação não formal e determina sua realização. É a mais importante lei sobre educação ambiental. Criou parâmetros objetivos, definiu o que é EA, trouxe de uma forma permanente a EA para o âmbito escolar e aborda a educação não formal. Se observarmos a lei, observaremos uma menção à questão da mídia, dos meios de comunicação, que teriam a obrigação de trabalhar a questão ambiental na sua programação. Existe, pois, o pressuposto normativo legal que isso deve ocorrer.]

 

  • Atividades identificadas como linguagens ou tecnologias para a E.A não formal:

- Aquecedor solar [feito de garrafas PET e caixas de leite longa vida Tetra Pak].

- Construção e uso de biodigestores – [para comunidades rurais e rururbano. Prescinde de material orgânico.]

 - (1)Compostagem e (2)enxertia – (1)restos de frutos, de matéria orgânica. (2)Cortar galhos de árvores para enxertar.

- Cultivo orgânico (hortas) – [Produtos fáceis de serem cultivados, de uso rotineiro.]

- Plantas medicinais e saberes tradicionais – [resgate dos saberes tradicionais.]

- Produção de viveiros de mudas – [para atividade de reflorestamento. Deve ter o acompanhamento de um profissional que tenha um conhecimento técnico. Não basta só plantar. Essas árvores precisam ser daquele ambiente, daquele ecossistema. Dá-se preferência às plantas que vão ajudar a compor um todo, tanto paisagístico quanto que possa facilitar interações de animais.]

- Reciclagem (arte, produtos de limpeza) – [grande tema, trabalhado tanto na esfera formal quanto na esfera não formal. Tem muito a ver com ambiente urbano, que gera muito resíduo.]

- Água e saneamento – [a contaminação dos rios é notória. Um dado: 85% das bacias hidrográficas brasileiras apresentam algum tipo de contaminação. Temos mais de 5.000 Municípios no Brasil e a maioria não têm saneamento, não têm tratamento de água e esgoto]

 

[Cabe ao educador atuar ou procurar caminhos de atuação.]

 

EXEMPLO: CONSUMO DE BIOGÁS

 

Obs. 25 kg de esterco gera 1,2 m3 de biogás

 

Cozimento: 0,27m3 / pessoa/ dia

Geladeira: 2,50m3 / geladeira/ dia

Lampião: 0,12m3 / lampião/ hora

Motor: 0,40m3 / HP/ hora

Ferro de passar: 0,12m3 / ferro/ hora

 

[Esses dados servem de parâmetro como isso pode se tornar algo prático para modificar de fato o dia a dia de muitas pessoas ou comunidades.]

 

ORGANIZAÇÃO NÃO-GOVERNAMENTAL

  • A globalização enfraqueceu os estados nacionais, que perdem a capacidade de formular políticas nacionais autônomas.

 

[Esse, talvez seja o grande foco de trabalho para o educador ambiental no aspecto não-formal. Temos muitas iniciativas de ONGs financiadas, que participam de editais públicos, de editais privados. Exemplos: Fundação Bradesco, Fundação Itaú, Natura, Petrobrás, entre outras. Por uma questão de responsabilidade sócio empresarial, investem em ações relacionadas ao Meio Ambiente e sabem – porque notório - que a Educação Ambiental talvez seja o melhor dos investimentos, porque gera frutos futuros. Então, muitas ONGs participam de editais, que são abertos tanto por empresas fundações, ligadas às empresas privadas, quanto pelos organismos públicos. No processo de globalização as ONGS cresceram, porque durante o processo de globalização, principalmente de 1990 para cá, temos o fenômeno da ascensão das políticas neoliberais. Essa é uma característica da globalização - o Neoliberalismo: diminuição da atuação do Estado nacional sobre o aparato socioeconômico. O Estado nacional deixa de intervir nas atividades econômicas, principalmente, e às vezes se ausenta em alguns setores relacionados ao social. Essa foi uma política para evitar ou contornar o endividamento desses Estados nacionais. Foi feito num ambiente de crise – medidas restritivas para evitar que esses Estados, esses países, que passavam por crise, gastassem mais do que poderiam. Então, as medidas neoliberais abriram espaço para a atuação das ONGs. Obviamente, aí vem uma questão de Mercado. Tendo espaço e tendo possibilidade, isso cresce vertiginosamente. Daí a proliferação das ONGs.]

 

  • As relações internacionais não podem mais ser explicadas apenas em termos de relações entre Estados e mercados. Fortalecem-se as ONGs (variados segmentos).

 

[As sociedades civis, que são as ONGs, hoje são fundamentais. Qualquer fórum de discussão, seja ambiental, seja social, seja econômico, tem que levar em consideração o papel desse ator social importante que é a Organização Não Governamental.]

 

  • Surge, recentemente, a rotulagem ambiental, certificando que um produto ou serviço atende certos pré-requisitos ambientais (certificação).

 

[Uma forma de certificar certas práticas que mereçam ser classificadas como ambientalmente sustentável ou mereçam um selo de qualidade relacionado ao Meio Ambiente. Essa empresa faz determinado produto e, da forma como é feito, busca-se um equilíbrio ambiental maior. Por exemplo, uma empresa que fabrique pneu exerce uma atividade fundamental, mas que gera resíduos e gera danos. Existem as empresas tradicionais, que agem da forma convencional, e existem aquelas empresas que sabendo que gera dano, tenta minimizar esse dano => tenta adotar um gasto menor de combustível, para movimentar aquele produto dentro da fábrica e dos seus fornecedores para a fábrica; tenta trabalhar processos de recuperação e reciclagem. Então, isso tudo tem uma variável econômica, porque ocorre, muitas vezes, consegue uma economia, e tem uma variável ambiental. Essa empresa, se seguir determinadas normas, pode receber um rótulo ambiental e isso é algo, relativamente novo.]

 

PROGRAMAS E ROTULAGEM AMBIENTAL EXISTENTES NO MUNDO

 

  • Blue Angel: Alemanha (1977) – [pioneira. Programa do Governo alemão para certificar ambientalmente produtos.]
  • EcoMark: Japão (1989) – [iniciativa de uma ONG, criou mecanismos, alguns padrões para as empresas adotarem para ter essa certificação.]
  • Environmental Choice Program (ECP): Canadá (final dos anos 80)
  • Outros:

–        Série ISO 14000[ISO é uma organização sem fins lucrativos, internacional, que visa a padronização mundial. Essa série 14000 visa a padronização no que tange às questões ambientais.]

–        FSC – Manejo Florestal Sustentável – [empresa holandesa, sem fins lucrativos, que age, principalmente, na área do manejo florestal. Você compra um móvel, sabe que é fruto de reflorestamento, que não é madeira derrubada de forma ilegal, de uma floresta tropical.]

–        Imaflora[no Brasil, para quem trabalha com certificação florestal e agrícola.]

–        IBD – Instituto Biodinâmico.

 

  • Parâmetros: Produção [averiguar como se dá a produção, para minimizar o impacto] ambiental) Distribuição [que envolve a logística, envolve o consumo de combustível] - Descarte [e o pós consumo? Lá no final da cadeira produtiva, o que vai acontecer com o descarte? A empresa o recebe de volta? Aquilo vai para o meio ambiente?]

 

RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL

 

  • Crescimento da discussão ambiental em nível planetário, e de legislações mais rígidas em relação ao tema reforçam estas iniciativas.
  • O consumidor passa a exigir ou privilegiar empresas eticamente, socialmente e ecologicamente comprometidas.
  • Dentro do âmbito empresarial passa-se a utilizar estes temas como elemento diferenciador e alvo de ações de marketing.

 

PIRÂMIDE TRADICIONAL DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL

 

RESPONSABILIDADES VOLUNTÁRIAS E FILANTRÓPICAS

RESPONSABILIDADES ÉTICAS

RESPONSABILIDADES LEGAIS

RESPONSABILIDADES ECONÔMICAS

 

 

[Temática já não muito nova dentro das organizações.

O que é? É aquilo que a empresa desenvolve; suas práticas, seja no processo produtivo, seja em iniciativas feitas fora da empresa, para tentar minimizar o impacto, seja ambiental, seja melhorar a qualidade social, isto é, atuar na comunidade, atuar localmente, nacionalmente. Tudo isso entra numa responsabilidade que a empresa tem. Claro, que a empresa visa o lucro, mas a responsabilidade, por sua atuação, é fundamental.]

 

[Primeiro, vem a responsabilidade econômica - a ideia de que a empresa precisa ter lucro, ou não se mantém. Precisa adequar-se às normas do seu país, do seu estado. As responsabilidades éticas, que são algo não tangível em relação aos seus colaboradores internos e em relação à sociedade como um todo. Responsabilidades voluntárias e filantrópicas. Isso ficava um pouco confuso, na sua divisão tradicional.]

 

FORMAÇÃO DE PROFESSORES AMBIENTALISTAS E PROJETOS DE EA

 

[O que acabamos de ver, acima:]

 

  • A base econômica tem a missão de produzir e vender bens e serviços (lucro). Os outros estão condicionados ao primeiro.
  • Em seguida, vem a responsabilidade legal. A organização deve cumprir sua missão dentro da estrutura legal.
  • A ética “compreende os comportamentos e atividades não cobertos por leis, mas que representam expectativas dos membros da sociedade”.
  • Por fim, viria a responsabilidade voluntária ou filantrópica.

 

MODELO DE TRÊS DOMÍNIOS DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL (RSE)

 

  • As ações de RSE devem atender demandas que superam as exigências legais.
  • Dessa forma, as doações que as organizações fazem eventualmente não são ações de RSE.
  • A responsabilidade social empresarial incorpora um sentido de obrigação para com a sociedade; essa responsabilidade assume diversas formas (proteção ambiental, projetos educacionais, equidade nas oportunidades de emprego e etc.).

 

FORMAÇÃO DE PROFESSORES AMBIENTAIS E PROJETOS DE EA

 

  • Três concepções equivocadas moldam a prática educativa em EA:

–        A interdisciplinaridade está geralmente afeita a uma concepção apenas de “colagem” de conteúdos. [Interdisciplinar: pressupõe teoria e metodologia conjunta entre várias disciplinas, com resultados esperados iguais, conjuntos.]

–        O lema Agir local, pensar global é desconsiderado, já que os alunos e professores, são levados a “conhecer” espaços naturais, e muitas vezes deixam de lado trabalhos necessários na própria comunidade. [Muitas vezes é desconsiderado. Pensa-se muito no global e esquece-se o local. Nunca esquecer a esfera local. Tentar adequar o trabalho para esse universo.]

–        Desconsideração do tempo necessário de amadurecimento, crescimento e dedicação para se constituir e fixar uma maneira de ver e sentir a realidade. [Respeitar os tempos, os ritmos. A Educação é processual. Processo cumulativo]

ALERTA EPISTEMOLÓGICO!

PRÁTICA DE TÉCNICAS DE MÍNIMO IMPACTO EM ECOTURISMO

 

  • O turismo é uma das atividades que mais cresce no contexto atual (destacando o ecoturismo). [Educação não-formal. Atividade que mais cresce dentro do turismo. Cresce 15% a 25% ao ano, enquanto o turismo tradicional cresce 7,5% ao ano. 10% da população mundial que se desloca para o turismo tem como finalidade o ecoturismo. É ambiente propício à sensibilização ambiental e por isso é importante.]
  • Riscos do ecoturismo:

–        Menores: erosão de trilhas, lixo.

–        Maiores: contaminação de águas, alteração na fauna, na dinâmica dos ecossistemas.

 

BACIA HIDROGRÁFICA COMO UNIDADE DE ESTUDOS DE EA

 

  • A EA é uma ótima estratégia, partindo da ideia de que a maior parte dos visitantes não compreende os impactos que causam nas áreas visitadas.
  • Ao receber informações pertinentes, entende-se, que o visitante estará disposto a mudar suas práticas e hábitos.
  •  Ótima ferramenta para abordar a territorialidade, e a partir daí, todos os elementos que a compõem.
  • Permite múltiplas abordagens:

–        Vídeos: sensibilização/ construção coletiva.

–        Atlas interativo: técnica teórico-visual.

–        Mapa artístico: apresentação de forma estilizada.

–        Maquete geográfica: apoio didático-pedagógico para abordagem da EA que permite uma visão abrangente da bacia.

 

ATIVIDADE

 

  1. Qual das alternativas NÃO corresponde a um objetivo dos programas voluntários de rotulagem ambiental?

a) proteção do meio ambiente.

b) estímulo à inovação ambientalmente saudável na indústria.

c) desenvolvimento da consciência ambiental dos consumidores.

d) induzir as empresas a melhorar seu desempenho ambiental.

e) especificar ao consumidor as partes do produto. (CORRETA)

 

  1. Por que associamos o processo de globalização ao crescimento das ONGs?

Questão para reflexão futura:

RESPOSTA: Porque a globalização, iniciada nos anos 90, possui diversas características e uma delas que o Estado passa a atuar menos na esfera econômica. As ONGS atuam nesse segmento, para trabalhar iniciativas com uma roupagem social.

 

  1. Por que as bacias hidrográficas podem ser vistas como estratégicas como unidade de estudos de EA?

RESPOSTA: Porque congrega um espaço geográfico preciso. Assim, consegue-se trabalhar a totalidade daquele local.

Exibições: 5

Aniversários

Não há aniversários hoje

Eventos

Poema ao acaso

CENPESJUR

© 2017   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Relatar um incidente  |  Termos de serviço