AULA 04

A CHEGADA DA FAMÍLIA REAL AO BRASIL: IMPACTOS NA EDUCAÇÃO

 

NESTA AULA

  • Século XIX
  • Brasil: de Colônia a Império

 

SÉCULO XIX: A EDUCAÇÃO NACIONAL

 

  • O desenvolvimento do capitalismo obrigou a escola a se modernizar.
  • A complexidade do trabalho exigia melhor qualificação da mão de obra.

 

SÉCULO XIX: A EDUCAÇÃO NACIONAL

 

  • Conteúdos técnicos e científicos teriam a mesma importância dada às antigas matérias clássicas e literárias.
  • Ensino superior: criação das escolas politécnicas.

 

  • Ocorreu uma expansão da rede escolar e a criação da pré-escola.
  • Os cuidados com a metodologia tomaram contornos mais rigorosos em virtude das novas ciências humanas, sobretudo da Psicologia.

 

  • Reforço do dualismo escolar.
  • Ao lado da expansão da rede escolar, outro objetivo dos educadores no século XIX era formar a consciência nacional e patriótica.

 

BRASIL: DE COLÔNIA A IMPÉRIO

 

  • 1808: vinda da família real para o Brasil
  • 1822: Independência
  • 1822-1831: Primeiro Reinado
  • 1831-1840: Período Regencial
  • 1840-1889: Segundo Reinado
  • 1888: Abolição
  • 1889: Proclamação da República

 

CULTURA

 

  • Imprensa Régia
  • Biblioteca Nacional
  • Jardim Botânico do Rio
  • Museu Real
  • Missão cultural francesa

 

EDUCAÇÃO BRASILEIRO NO PERÍODO JOANINO

 

  • Ainda não havia uma política educacional e as aulas régias predominavam.
  • Com a chegada da família real, foi necessária a criação de inúmeras escolas e do ensino superior.

 

ENSINO SUPERIOR

 

  • Academia Real da Marinha.
  • Cursos médico-cirúrgicos.
  • Diversos cursos avulsos de química, agricultura e economia.

 

ENSINO ELEMENTAR

 

  • Precário e deixado em segundo plano.
  • Nem o Decreto de 1827 conseguiu resolver esse “problema”.

 

  • A elite educava seus filhos em casa, com preceptores.

 

                                Ensino mútuo

1834 – descentralização do ensino elementar: cada província era responsável por esse ensino.

 

ENSINO SECUNDÁRIO

 

Ensino de má qualidade, com professores pouco qualificados, autoritários e incompetentes.

                Colégio Pedro II – destinado a educar as elites.

 

                Seminário de Olinda – formação mais global, inspirada pelos ideais Iluministas.

 

Ainda era forte a presença religiosa na educação, ao contrário do que acontecia na Europa.

 

                Leôncio de Carvalho pensou o ensino em seus três níveis.

 

ENSINO SUPERIOR

 

  • Faculdades = institutos isolados
  • Elitista e aristocrático
  • Diploma – “enobrecimento”

 

FORMAÇÃO DE PROFESSORES

 

  • Escolas Normais (1835) – não ocupavam lugar de destaque.
  • A formação de professores não era relevante, pois não acreditavam na necessidade de Métodos para ensinar.
  • Aspecto artesanal da educação.

 

ENSINO PROFISSIONALIZANTE

 

  • Casas de Educandos Artífices

- Formação para o trabalho qualificado.

- Mais assistencialistas e disciplinadoras.

 

REFERÊNCIAS

 

ARANHA, M. L. de A. História da Educação e da Pedagogia. Geral e do Brasil. 3ª ed. São Paulo: Moderna, 2006.

MANCORDA, M.A. História da educação. Da antiguidade aos nossos dias. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 1992.

RIBEIRO, M.L.S. História da educação brasileira: a organização escolar. Campinas: Autores Associados, 1995.

STEPHANOU, M. e BASTOS, M. H.C. (Org.). Histórias e memórias da educação no Brasil. Petrópolis: Vozes, v. II: Século XIX, 2004.

 

ATIVIDADE

 

A vinda da família real para o Brasil provocou algumas transformações do ponto de vista cultural. Identifique algumas delas, discutindo sobre a sua importância.

 

Exibições: 2

© 2017   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Relatar um incidente  |  Termos de serviço