AULA 05

IMPÉRIO, EDUCAÇÃO E SOCIEDADE DO SÉCULO XIX

 

NESTA AULA

  • Educação Feminina no Brasil Império.
  • Reflexões pedagógicas no final do século XIX.

 

EDUCAÇÃO FEMININA NO BRASIL IMPÉRIO

 

  • Situação de dependência e inferioridade.
  • Rara possibilidade de instrução.
  • Em famílias mais abastadas recebiam as primeiras noções de ler e escrever (preceptoras).

 

  • Predominava o ensino das prendas domésticas e a formação moral e religiosa.
  • Objetivo era a preparação para o casamento.
  • “Verniz” para o convívio social: Ensino de piano e línguas estrangeiras (francês).

 

  • 1825: D Pedro I autorizou o funcionamento do Seminário de Educandas de São Paulo (Seminário da Glória).
  • Não era como os asilos para meninas órfãs ou desamparadas, pois era uma iniciativa estatal e não religiosa.

 

  • 1827 - D Pedro I: foram regulamentadas as aulas regulares para meninas, embora ainda se justificasse que, sua educação tinha por objetivo o melhor exercício das “funções domésticas e maternais”, que elas haveriam um dia de exercer.

 

SEMINÁRIO DA GLÓRIA

 

  • Aprendiam a ler, escrever, contar, bordar e cozinhar.
  • Eram “protegidas dos vícios” e da “depravação dos costumes”.

 

  • Apenas em 1827 foram determinadas aulas regulares para meninas.
  • Educação tinha por objetivo o melhor exercício das “funções domésticas e maternais” que elas haveriam um dia de exercer.

 

  • Aulas deveriam ser ministradas por “senhoras honestas”.
  • Não precisavam ter grandes conhecimentos.

 

  • Falta de ensino público secundário para as moças.
  • As mais abastadas frequentavam as aulas em escolas particulares confessionais.
  • Escolas protestantes ou católicas.

 

  • 1875: criação da seção feminina na Escola Normal da Província.
  • As moças poderiam se profissionalizar na carreira do magistério – cursos instáveis.
  • No final do século a classe docente começou a se tornar predominantemente feminina.

 

  • Conservadores temiam o desmantelamento do sistema patriarcal e a dissolução da família.
  • Natureza inferior da inteligência feminina.
  • Liberais destacavam a importância da educação feminina para o exercício das funções de esposa e mãe.

 

  • Os mais avançados percebiam que a educação da mulher exercia papel central no programa de reformas sociais que vislumbravam para o país.

 

  • As mulheres se achavam excluídas do acesso à educação e, principalmente, aos cursos superiores.
  • Mesmo as que se preparavam adequadamente em escolas particulares ou com preceptores.

 

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS NO FINAL DE SÉCULO XIX

 

  • Intelectuais, inspirados pelas ideias europeias e norte-americanas, buscavam novos rumos para a educação.
  • Apresentavam projetos de leis, criavam escolas e promoviam acirrados debates com a sociedade.

 

  • Intelectuais como Rui Barbosa, acreditavam que transformações na educação possibilitariam o atendimento às aspirações de modernidade.
  • Formação dos trabalhadores brasileiros e estrangeiros.

 

  • A orientação positivista do ensino intensificou a luta pela escola pública, leiga e gratuita, bem como o ensino das ciências.
  • Além dos métodos possíveis, eram discutidos a higiene escolar, os castigos, a atuação do Estado na educação, a formação de professores e escola popular.

 

  • Essas manifestações eram ações isoladas.
  • A mentalidade agrária e escravocrata resistia às ideias liberais implantadas na Europa.

 

REFERÊNCIAS

 

ARANHA, M. L. de A. História da educação e da pedagogia. Geral e do Brasil. 3ª ed. São Paulo: Moderna, 2006.

RIBEIRO, M.L.S. História da educação brasileira: a organização escolar. Campinas: Autores Associados, 1995.

STEPHANOU, M. e BASTOS, M. H.C. (Org.). Histórias e memórias da educação no Brasil. Petrópolis: Vozes, v. II: Século XIX, 2004.

 

 

ATIVIDADE

 

A educação da mulher sempre foi preterida, devido à concepção que as sociedades tradicionais sempre tiveram a respeito do papel feminino. Identifique as mudanças no final do século XIX.

 

Exibições: 3

© 2017   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Relatar um incidente  |  Termos de serviço