AULA 8

A ERA VARGAS E AS REFORMAS NA EDUCAÇÃO (1930-1945)

 

EDUCAÇÃO NO INÍCIO DO SÉCULO XX

 

- Necessidade de modernizar a sociedade brasileira.

- Os grupos escolares crescem freneticamente.

 

Dois movimentos:

- ENTUSIASMO PELA EDUCAÇÃO (quantitativo): objetivava a construção das escolas – principais instrumentos para o crescimento social.

- OTIMISMO PEDAGÓGICO (qualitativo): pautava-se na reflexão pedagógica – principal bandeira: as escolas novistas.

 

No início da República, houve o privilégio do entusiasmo pela Educação.

O otimismo pedagógico foi influenciado pela pedagogia norte-americana.

 

LEGISLAÇÃO REPUBLICANA

 

Reforma Benjamim Constant (1891):

- Substituição de um currículo acadêmico de caráter científico (influência do positivismo).

- Organização do ensino secundário, primário, da Escola Normal, além da criação do Pedagogium = espaço de reflexão, arquitetado para pensar a Educação, para buscar soluções para a Educação brasileira. Espaço onde se criou o primeiro laboratório de Psicologia Aplicada no Brasil, onde os testes vão entrar para a Educação, para destinar os indivíduos para os seus espaços.

Enfatizou-se o ensino leigo, livre e gratuito.

O professor deveria passar pelo Curso Normal.

 

Lei Rivadávia Correia (1911):

Garante a liberdade aos estabelecimentos, desoficializando o ensino, numa tentativa de ampliar o acesso à Educação.

 

Reforma Carlos Maximiniano (1915):

- Reoficializou o ensino.

- Reformulou o Colégio Pedro II: tirando dele o ranço humanístico.

- Regulamentou o acesso às escolas superiores.

- Ordenação das ações pedagógicas.

- Exames passam a ser muito rígidos e sempre em dupla fora: oral e escrita.

- Escolas Intermediárias e Provisórias – escolas inferiores, surgidas na ânsia da expansão educacional.

- Escolas Ambulantes: iam até ocais aonde não existiam escolas.

- Escolas Noturnas – alfabetização e profissionalização: número muito grande de analfabetos – para atender aos trabalhadores.

 

Década de 20:

- Criação da Associação Brasileira de Educação (ABE)

- Debates políticos educacionais efetivados – espaço frutífero.

- Organização das conferências nacionais pedagógicas.

- Reformas estaduais: reorganização pedagógica e nova visão quanto aos objetivos da Educação. Os professores passam a participar dessas discussões.

- Reinventar a Educação (pautada na Escola Nova) para adaptar os indivíduos à sociedade do seu tempo: para formar o homem moderno que o Brasil precisa.

- Diferentes intelectuais integraram o movimento de renovação educacional.

- Distintos movimentos político-ideológicos: liberais, democratas, católicos, esquerdistas. O espaço era de todos. Existia uma rivalidade, mas todos tinham como principal bandeira a Educação e a esquematização de uma nova sociedade a partir da escola.

- Preconizavam a adoção de métodos pedagógicos fundados na Psicologia e na Biologia.

- Alguns reformadores se apoiaram nas teorias raciais do período, expressando discriminações de natureza étnica ou cultural => Branqueamento da Sociedade.

 

REFORMAS EDUCACIONAIS

- São Paulo (Sampaio Dória)

- Ceará (Lourenço Filho)

- Bahia (Anísio Teixeira)

- Minas Gerais (Francisco Campos e Mario Casassanta)

- Distrito Federal – Rio de Janeiro (Fernando de Azevedo)

- Pernambuco (Carneiro Leão)

 

MANIFESTO DOS PIONEIROS DA EDUCAÇÃO

Discutem a renovação da escola pública.

A discussão torna-se tão acirrada, tão necessária, que em 1932 surge o Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova. Chama-se a população para discutir a educação.

Discute-se a Educação inorganizada – não organizada.

O Manifesto foi assinado por 23 homens e 3 mulheres, educadores, intelectuais de renome, liderados por: Fernando de Azevedo, Lourenço Filho e Anísio Teixeira, conhecidos como os Três Cardeais da Educação Nova.

O manifesto foi redigido por Fernando de Azevedo – compunha uma autêntica e sistematizada concepção pedagógica, indo da filosofia da educação a formulações pedagógico-didáticas, passando pela política educacional.

Fica claro que o mais importante problema do Brasil era o problema educacional.

As reformas econômicas não deveriam estar dissociadas das reformas educacionais.

Sempre faltou, no Brasil, uma filosofia da Educação, uma visão científica dos problemas educacionais.

A nova filosofia da educação deveria adaptar a escola à modernidade e, para tal, deveria aplicar os métodos científicos sobre os problemas educacionais de toda ordem.

EDUCAÇÃO = REFORMA SOCIAL

O Manifesto defendia a educação obrigatória, pública, gratuita e leiga como dever do Estado; a superação do caráter discriminatório e antidemocrático do ensino; propunha uma escola secundária unitária, como uma base de cultura geral para todos.

O Manifesto é um “divisor de águas”, reiterando a necessidade do Estado assumir a responsabilidade pela Educação.

 

Sugestão para leitura:

CUNHA, Marcus Vinícius. A educação dos educadores: da Escola Nova à escola de hoje. Campinas: mercado de Letras, 1995.

 

ATIVIDADE

O projeto republicano visava implantar a escolarização universal.

Explique em que esse objetivo se realizou e quais as suas deficiências.

RESPOSTA: Que Educação a república queria¿ Que Educação os intelectuais almejavam¿

O projeto republicano almejava uma escola para todos. O objetivo não se concretizou plenamente.

Se tivesse sido concretizada não haveria a necessidade, em 1932, da publicação do Manifesto. Ocorreram progressos, sim: reconhecimento da necessidade da Educação para a modernização do país. Um ponto muito importante que faltou em todas as discussões, desde o final do Século XIX. Necessidade da escola, de prédios e não só da Instituição para atingir um número maior de indivíduos. Isso foi alcançado, mas não alcançou a todos, porque a Educação persistiu excluindo (aqueles que tinham dificuldades para entender a sua dinâmica). Tentou-se a universalização do ensino. Reconheceu-se a necessidade da Filosofia da Educação e não somente das demais ciências. No início da República não se realizaram todos os objetivos.

 

Exibições: 2

Aniversários

Não há aniversários hoje

Eventos

Poema ao acaso

CENPESJUR

© 2017   Criado por Sílvia Mota.   Ativado por

Relatar um incidente  |  Termos de serviço